Title

​Fórum no Rio promoverá assinatura de parcerias público-privadas em prol da sustentabilidade da cidade

Em meio à onda de notícias negativas que assolam o Rio de Janeiro, a cidade será palco, dias 13 e 14 de julho, da assinatura de pelo menos seis acordos público-privados, entre diferentes setores da sociedade, visando ações em prol do desenvolvimento sustentável do município. A costura será alinhavada na Associação Comercial, durante o I Fórum de Sustentabilidade do Rio, promovido pela Cariocas em Ação, gestora do Pacto do Rio.

O Pacto é um movimento criado há pouco mais de um ano para promover e monitorar o desenvolvimento sustentável da Região Metropolitana do Rio e elege a desigualdade sócio econômica como o maior fator de risco para o desenvolvimento da região e seu entorno. Com base nessa premissa, cada um dos seis temas a serem tratados no evento – Informação para transformação, mercado de capitais e empreendedorismo, organismos internacionais, favelas, uma nova economia e gestão metropolitana – culminará em um acordo entre instituições públicas, privadas, terceiro setor e universidades e o Pacto do Rio. Segundo Eduarda La Rocque, presidente da Cariocas em Ação e fundadora do Pacto, os acordos tratarão de questões complexas da cidade, com metas a serem cumpridas.

“Somente a cooperação entre setores como uma nova forma de governança pode dar conta dos grandes desafios contemporâneos, como a desigualdade social e a violência, na maioria das vezes problemas oriundos de um modelo fundado em oposições e não de acordos. Acreditamos que o sucesso dos esforços para reduzir as desigualdades depende muito da cooperação entre os diversos setores. Vamos sair deste evento com compromissos assinados, que não vão ficar restritos a intenções listadas em um papel. Vamos colocar em prática”, disse Eduarda.

O Fórum vai reunir especialistas de instituições internacionais, academia, empresas e autoridades públicas. São sete painéis com mais de 40 palestrantes. Neste primeiro Fórum, todos os acordos assinados servirão de base para a criação do Centro de Resiliência Metropolitano, a ser inaugurado pelo Pacto até dezembro do ano que vem. Com a ajuda de parceiros, o Centro irá criar indicadores para medir a eficiência dos acordos e contará com o apoio da população para acompanhar os projetos. Ao mesmo tempo, o Centro funcionará como um ponto de encontro para todos os que participam da gestão do Pacto – órgãos públicos, centros de pesquisa, população, terceiro setor, parceiros privados e organismos internacionais – e como um repositório de informações sobre a cidade.

Segundo Viviane Mosé, co-fundadora do Pacto, com essa primeira leva de informações, o grupo apresentará, em março de 2017, o Plano de Resiliência Metropolitano, com propostas de novas ações para a cidade. “O Pacto do Rio é uma rede entre redes, uma convergência de forças em torno de um objetivo comum: uma cidade mais segura para todos”, disse ela.

A programação completa está no site http://forumdesustentabilidade.rio/. O evento é gratuito, mas as vagas são limitadas.

Serviço:

I Fórum de Sustentabilidade do Rio
http://forumdesustentabilidade.rio/
Data: 13 e 14 de Julho
Local: Associação Comercial do Rio (ACRio) - R. Candelária, 9 - Centro, Rio de Janeiro

Programação:

Painel de abertura - Pacto do Rio – por uma metrópole sustentável


Boas vindas: Paulo Protásio – Presidente da ACRio

Eduarda La Rocque (20’) – Fundadora do Pacto do Rio e Presidente do Cariocas em Ação
Pacto do Rio – integração e informação como condição para a sustentabilidade da Metrópole

Viviane Mosé (20’) – Vice Presidente do Cariocas em Ação
Cariocas em Ação –  Inovação e inteligência a serviço das causas sociais

Rodrigo Lang (15’) – Sócio-Fundador do IEG – Instituto de Engenharia de Gestão
Agentes da Cidadania, a experiência de Manguinhos

Marcelo de Andrade – (10′)- Presidente e Fundador da Pro Natura Brasil
Agências de Fomento em áreas vulneráveis.

Rique Nitzsche (10`)- Sócio-Fundador da D-Think
Por que sou um Carioca em Ação?

Painel 1 - Informação para Transformação


Abertura: Lena Lavinas (10’), Professora titular do Instituto de Economia da UFRJ

Luciana Nery (15’) – Gerente de Resiliência – Centro de Operações Rio
O valor dos Indicadores para construção de uma metrópole resiliente

Joana Monteiro (15’) – Diretora Presidente do Instituto de Segurança Pública
Indicadores de Segurança – informação qualificada e prevenção

Júnia Santa Rosa (15’) – Urbanista e Consultora
O valor da informação qualificada no desafio da moradia social no Brasil

Glaucia Barros – Diretora Programática da Fundação Avina e Marcelo Mosaner – Mestre em Economia Política/PUC-SP (30’)
O Índice de Progresso Social como estratégia de diagnóstico, mobilização e avaliação de impacto


Conceito do Painel

O objetivo deste Painel é destacar a importância da informação qualificada para transformação social. Apresentaremos experiências em curso, como o Mapa de resiliência do Centro de Operações Rio e os indicadores de segurança desenvolvidos pelo ISP/ERJ, e discutiremos a importância estratégica do IPS, índice de progresso social, que estamos adotando como referência a ser alcançada para diminuir diferenças territoriais.

Painel 2 - Mercado de Capitais e Empreendorismo


Estimulando o desenvolvimento de baixo para cima.

Abertura:  José Marcos Treigger (10’) – Consultor Associado da RR Donnelley do Brasil.

Eduarda La Rocque (20’) – Presidente do Cariocas em Ação.
Um novo modelo de desenvolvimento e oportunidades no mercado de capitais

Matheus Aguiar (20’)  Presidente do Conselho dos Jovens Empreendedores da ACRio
Redes Empreendedoras e o empoderamento da juventude

Marcelo Mesquita (20′) – Sócio da Leblon Equities
Mercado de capitais e projetos sociais (Endowment funds

Thomás Tosta de Sá (20’) – Presidente do Instituto IBMEC
Incentivando a base da pirâmide – A feira do dinheiro


Conceito do Painel

O mercado de capitais tem um papel fundamental para estimular o empreendedorismo, bem como causas sociais, ambientais e urbanas. O painel busca apontar para a profissionalização do terceiro setor, a adoção de modelos de governança adequados e instrumentos sofisticados tais como títulos de impacto social e Endowment funds, através do arcabouço jurídico-institucional desenvolvido no mercado de capitais brasileiro, um dos mais desenvolvidos do mundo.

Painel 3  - Agenda ONU 2030


Localizando os ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – da ONU no Rio de Janeiro

Abertura: Rômulo Paes de Sousa (12’) – Diretor, Centro Rio + do PNUD

Haroldo Machado Filho (10’), Co-presidente da Força-Tarefa da ONU sobre a Agenda 2030
Força Tarefa do UNCT no Brasil sobre a Agenda 2030 e os ODS

Luciana Phebo (8’) – Coordenadora do Escritório Zonal da UNICEF no Rio de Janeiro e Chefe Nacional da Plataforma Urbana UNICEF.
Plataforma dos Centros Urbanos

Alain Grimard (8’) – Representante da ONU-Habitat no Brasil
Índice de Prosperidade da Cidade

Maria do Carmo Rebouças (8’) – Gerente de Articulação Institucional – PNUD
Brasil ODS 2030

Emily Hosek (8’) –  SDSN Brasil/GIZ
Monitoramento Cidadão de Indicadores dos ODS, particularmente ODS 11 

Vinicius Monteiro (8′) – Assessor para População e Desenvolvimento, UNFPA
O papel da UNFPA: Case Cariocas em Ação

Nadine Gasman  (8’)– Representante da ONU Mulheres no Brasil (a confirmar)
Uma vitória leva à outra


Conceito do Painel

O objetivo do Painel é conhecer algumas experiências dos organismos internacionais no Brasil com o intuito de melhor articular estas forças em prol do desenvolvimento sustentável da Metrópole.  Enquanto um de seus objetivos específicos é fornecer uma visão do papel das Nações Unidas e as organizações internacionais no apoio a municipalização da Agenda 2030 no Rio de Janeiro. O painel vai oferecer uma breve introdução à Agenda 2030, o processo no Brasil e o papel das organizações internacionais.

Painel 4 - Favelas


Em defesa do desenvolvimento local e da cultura democrática cidadã

Abertura: André Lima (15’), Ativista social e Doutorando em História das Ciências pela Fiocruz

Rumba Gabriel (15’)  Ativista Direitos Humanos em Favelas e Diretor da FAFERJ
A organização das lutas das favelas do Rio

Deusimar da Costa – Presidente da FAF/Rio e Flávio Minervino – União Comunitária
Revistando o movimento comunitário de favelas: o caso da FAF-Rio

Daiana Ferreira (15’) –  Diretora do Ballet Manguinhos
Balé Manguinhos:  A Cultura como promotora da Paz

Mônica Garcia (15`)  – Economista/ONG Entrelaces
Museu de Favela: A construção de um condomínio de Cultura local


Conceito do Painel

As favelas são territórios exemplares da luta pela vida, plenas de criatividade, inovação, resiliência e de outros valores que nossa sociedade tanto almeja. O Objetivo deste Painel é provocar um circuito permanente de articulação, sustentável e equânime, que possa descortinar as névoas que embaçam o olhar de fora para as populações que vivem nestes locais, superando estigmas.  O apoio da população, interna e externa destas áreas, se dará em um caminhar conjunto em direção à construção de novas pontes e  propostas de ação ‘para e com’ os moradores que vivem nestas comunidades.

Painel 5 - Uma Nova Economia


Abertura: Haroldo Mattos de Lemos (10’), Presidente do Conselho de Meio Ambiente e Sustentabilidade da ACRio.

Luísa Santiago (15’) – Representante da Ellen MacArthur Foundation no Brasil
Economia Circular – O novo modelo de desenvolvimento sustentável

Tomás de Lara (15’) – Co-leader Sistema B – Brasil
Negócios com impacto social e ambiental positivo

Viviane Mosé, Robson Borges e Luiz Badejo (30’) – Vice-Presidente de Conteúdo do Cariocas em Ação, Presidente e Diretor Financeiro da Cooperliberdade, respectivamente
Reciclagem e inclusão social- o lixo e a economia circular

Fabiane Turisco e Antonia Mascarenhas (15’)- Diretora Executiva da Pró-Natura Internacional e Gestora de Projetos, respectivamente
Agência de Projetos- a experiência do Salgueiro

Álvaro Almeida (15’) – Diretoria Report Sustentabilidade
O desafio de se implementar redes sustentáveis


Conceito do Painel

O Painel busca articular os conceitos de uma nova economia, especialmente a economia circular, com a necessidade de investir no desenvolvimento sócio-econômico das áreas vulneráveis e apresenta o projeto de reciclagem de lixo úmido e entulhos em material de construção para casas populares como referência para esta nova economia.

Painel 6 - Gestão Metropolitana


Quando teremos uma Baia de Guanabara Limpa?

Abertura: Vicente Loureiro (10’) – Câmara Metropolitana do Rio de Janeiro

Guido Gelli (20’) – Engenheiro Civil e Ambientalista
Baía de Guanabara: Desafios e Oportunidades

Luiz Firmino (20’) – Câmara Metropolitana do Rio de Janeiro
Soluções de saneamento via parcerias público-privadas

Walfredo Schindler (20’) – Diretor superintendente da FBDS
Proposta de um novo modelo de governança para a Baía de Guanabara

Rogério Valle (20′) – Professor Titular da COPPE/UFRJ
Um legado olímpico frustrado?


Conceito do Painel

Inúmeros planos já foram lançados para despoluição da baía de Guanabara, são vários os interlocutores envolvidos. Neste painel apresentaremos a elaboração de um plano integrado e monitorado pela sociedade.

Comentários